Prova de residência médica da Unifesp – EPM garante excelência na qualidade de avaliação dos inscritos

Um dos objetivos do exame é garantir a entrada dos candidatos mais capacitados no corpo estudantil da Universidade. Mais de 3 mil interessados inscreveram-se. FapUnifesp participou de forma expressiva em sua organização

São Paulo, 21 de janeiro de 2016 – Recriar o ambiente médico-hospitalar da forma mais aproximada possível à realidade é sempre um dos maiores desafios e objetivos da prova de residência médica da Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo. Com o passar dos anos, o empenho de todos os envolvidos para a sua realização, o consolida como referência em avaliação na formação médica brasileira. “As provas são estruturadas para examinar o potencial dos candidatos da maneira mais objetiva”, acrescenta o Coordenador da Comissão de Residência Médica da Unifesp – EPM, prof. Adagmar Andriolo.

A prova prática do exame, que aconteceu entre os dias 15 e 16 de janeiro, recriou um ambiente médico-hospitalar, com casos clínicos elaborados por professores da Unifesp – EPM. “Tivemos a contribuição de um grande número de docentes do nosso curso médico, que se preocuparam em formular questões extremamente inteligentes, atuais e muito relacionadas com o que se espera do médico, nessa fase de sua formação”, completa.

Conseguiram chegar à segunda fase da prova 1.100 residentes, dos 3.083 ingressantes. Para o prof. Andriolo, por sua dinâmica, a segunda fase é um dos pontos mais relevantes do processo de seleção dos residentes da EPM.

A Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, foi a instância responsável pela organização do evento. Com área de mais de 1.4 mil m², instalada no Colégio Arquidiocesano Marista, zona Sul da capital paulista, a estrutura da prova contou com três geradores de energia, 193 microcomputadores, equipamentos de refrigeração, macas, divãs, entre outros instrumentos usados para o exercício da clínica médica, além de bonecos, atores e materiais hospitalares. Tudo para recriar o cotidiano de um médico no exercício da profissão.

“A FapUnifesp é fundamental para municiar nossos Programas de Residência com os melhores candidatos, selecionados com critério, seriedade e competência”, acredita prof. Andriolo. A residência médica da Unifesp-EPM conta com 96 programas de especialidades e forma mais de 1.200 profissionais.

O resultado final, juntamente com os convocados para a matrícula, está previsto para ser divulgado em 4 de fevereiro, pelo site da Coreme. As matrículas deverão ser realizadas entre 15 e 17 de fevereiro, na Coreme, no Edifício Octávio de Carvalho, Rua Botucatu, nº 740, 2º Andar, Vila Clementino, São Paulo, capital, das 9h às 16h (horário de Brasília). Além do site, é possível tirar dúvidas ou realizar esclarecimentos pelo: RM2016@unifesp.br.