Conferência Internacional SciELO debate futuro para a comunicação das pesquisas

Evento celebrou 20 anos do funcionamento da Rede SciELO e aprofundou os impactos, riscos e oportunidades que se abrem para os periódicos científicos em todo o mundo. Mais de 3 mil pessoas participaram dos painéis realizados. FapUnifesp gere recursos destinados para a SciELO

São Paulo, 28 de setembro de 2018 – Elaborar uma maneira para garantir ampla visibilidade, para comunicar irrestritamente o trabalho científico, foram temas que mobilizaram na semana de 24 a 28 de setembro, na capital paulista, pesquisadores de todo o mundo, durante a Conferência Internacional SciELO 20 Anos, que teve dois dias dedicados a Grupos de Trabalhos e três outros dias voltados para apresentações públicas e reflexões sobre a importância de se divulgar gratuitamente a produção científica.

Nos cinco dias do evento, a média diária de público oscilou por volta de 600 pessoas, totalizando cerca de 3.200 pessoas que, em algum momento da programação elaborada, refletiram, entre outras questões, a importância de garantir acesso gratuito à informação científica e os processos de repositório dessa informação. Destaca-se, 60% do público participante era composto por pesquisadores brasileiros. Os 40% restantes tinham origens distintas, com significativa presença de pesquisadores da América Latina.

“No Brasil, a Rede SciELO assegura a construção do ‘Caminho Dourado’ do Acesso à Informação científica”, destacou o Gerente Geral da Rede SciELO, Luís Gustavo Gomes, numa alusão à expressão utilizada nos países de língua inglesa sobre esse tema, The Golden Route to Open Access. “A totalidade das pesquisas realizada no país ainda não está disponível gratuitamente, mas já temos para consulta, livre de cobrança, um volume expressivo de trabalhos acadêmicos”, reforçou.

De acordo com informações divulgadas pela Fapesp, a partir de dados elaborados pela Science-Metrix, empresa dos Estados Unidos de avaliação de atividades em ciência e tecnologia, o Brasil é, percentualmente no mundo, o país que mais disponibiliza, sem taxa de cobrança, a produção de artigos científicos. Esse mesmo levantamento ressaltou: “Dos artigos publicados em periódicos brasileiros, 74% têm acesso aberto”. E a Fapesp reforça: “Esse fenômeno se deve em grande parte à biblioteca virtual SciELO, que reúne 283 periódicos brasileiros e por volta de mil de outros países.”

“A SciELO é fundamental na sustentação do sistema de pós-graduação brasileira, além de sempre trazer a discussão da ética e das boas práticas, objetivando fomentar o ecossistema editorial brasileiro.”, comentou, numa recente entrevista, o presidente da Associação Brasileira de Editores Científicos (ABEC), Rui Seabra Ferreira Jr.

A celebração dos 20 anos da Rede SciELO é momento para promover o avanço da globalização da comunicação científica e do movimento de acesso aberto de modo inclusivo em relação às diversidades de idiomas, de áreas temáticas e geográficas da pesquisa científica.

A abertura da Conferência, na quarta-feira, 26/9, teve a coordenação da mesa feita pelo ex-presidente do CNPq e atual coordenador adjunto de Programas Especiais da FAPESP, Hernan Chaimovich. Contou como painelistas com o Diretor Geral do Programa SciELO, Abel L. Packer, e seu coordenador científico, Rogério Meneghini, o Presidente da ABEC, Rui Seabra Ferreira Jr, a Coordenadora Geral do Portal de Periódicos da Capes, Patrícia de Almeida Silva, o Diretor Científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz e a Diretora Presidente da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, profa. Jane Zveiter de Moraes.

Vale lembrar, desde 2007, a FapUnifesp trabalha para manter em andamento os projetos de difusão da pesquisa acadêmica da SciELO. A Fundação é a gestora, executora dos recursos destinados à SciELO.

O programa da Conferência organizou-se em torno do alinhamento dos periódicos e a operação da SciELO com as práticas da ciência aberta, como a publicação dos dados das pesquisas, o aceleramento dos processos editoriais e de comunicação pela publicação contínua dos artigos e adoção de preprints, maximização da transparência nos processos de avaliação e fluxos de comunicação, e a busca por sistemas mais abrangentes para a avaliação de pesquisas, artigos e periódicos. Outras informações sobre a Conferência estão disponíveis pelo site www.scielo20.org.