Em busca de parcerias internacionais

A fim de diversificar atividades, FapUnifesp começa em novembro sua internacionalização. Trabalho será coordenado por Vera Salvadori e fortalecerá ações internacionais da Unifesp

São Paulo, 6 de novembro de 2017 – A Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, inicia neste mês seu processo de internacionalização. O trabalho está em fase de organização administrativa e estabelecimento de metas para o primeiro semestre de 2018. Estão sendo mapeadas potencialidades da Fundação e possíveis parcerias internacionais com instituições de ensino, empresas públicas e privadas e organizações governamentais. “Essa iniciativa amplia a atuação da Fundação”, comenta sua Diretora Presidente Profa. Jane Zveiter de Moraes. “Precisamos diversificar as atividades da FapUnifesp tanto para os projetos de apoio ao ensino, pesquisa e extensão desenvolvidos na universidade, quanto para assegurarmos sua saúde financeira”.

O trabalho será conduzido por Vera Salvadori, que dividirá seu tempo entre a Fundação e a Secretaria de Relações Internacionais da Unifesp, onde atua como Consultora de Assuntos Internacionais. “O processo de internacionalização da FapUnifesp fortalecerá a internacionalização da Universidade e vice-versa”, garante.

Vera lembra que os acordos de cooperação internacional da Unifesp são firmados com base no interesse acadêmico do corpo docente, sendo a maioria deles vinculados a projetos de pesquisa. “Neste sentido, é fundamental para a Unifesp ter sua Fundação apta a lidar com assuntos internacionais”.

A internacionalização de uma instituição de ensino ou de sua fundação traz reconhecimento internacional entre seus pares e outras instituições. É atividade meio e contribui ao aprimoramento das diversas ações desenvolvidas pela universidade.

HISTÓRIA

Colaborações internacionais conduzidas por docentes da Unifesp são tradicionais, sempre indicaram, inclusive, a alta qualidade da investigação científica realizada na instituição. Entretanto, a internacionalização como ação estratégica da Unifesp teve início em 2006, e a FapUnifesp foi fundamental nesse processo.

Foi por meio da Fundação que a Universidade, como instituição, formalizou suas primeiras parcerias e convênios de cooperação acadêmica com organismos estrangeiros, e estabeleceu programas de intercâmbio para alunos, docentes e pesquisadores.

No decorrer de 11 anos, algumas instâncias administrativas foram criadas para a coordenação dos trabalhos. Por isso, em 2009, surgiu a Assessoria de Assuntos Internacionais, logo em seguida, incorporada pela Reitoria como órgão institucional. E, em 2011, com a aprovação de um novo Regimento da Unifesp, a Assessoria transformou-se na Secretaria de Relações Internacionais (SRI).

De acordo com dados da SRI, a Unifesp mantém acordos de cooperação com 62 instituições de 20 países distribuídos pelas Américas do Sul e Norte, Ásia, Europa e Oriente Médio e participa de sete programas de mobilidade de intercâmbio de alunos. Outros detalhes no: http://www.unifesp.br/reitoria/sri/.

Vale lembrar, em maio, o presidente da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Abílio Baeta Neves, prometeu a publicação de um Edital, ainda em 2017, para programas de internacionalização de universidades.

Previsto para ser implantado no próximo ano, o Edital atenderá até a 40 programas para ampliar a cooperação e inserção internacional de instituições de ensino brasileiras.