O livro “A Maior Zoeira” na Escola é finalista do Prêmio Jabuti

Obra de Alexandre Barbosa Pereira é da Editora Unifesp e foi indicada ao prêmio na categoria Educação e Pedagogia. Vencedores serão conhecidos em 30 de novembro. Na premiação de 2014, a Editora conquistou a segunda colocação, em Arquitetura e Urbanismo, com uma de suas publicações

 

São Paulo, 9 de outubro de 2017 – Pelo segundo ano consecutivo, a Editora Unifesp está entre as melhores editoras do Brasil, ao concorrer ao 59º Prêmio Jabuti. “A Maior Zoeria” na Escola: Experiências Juvenis na Periferia de São Paulo, de Alexandre Barbosa Pereira, é finalista na categoria Educação e Pedagogia.

“No livro, discuto a escola como significativo espaço de formação, mas também de sociabilidade juvenil”, comenta Alexandre. “Para escrevê-lo, participei do cotidiano das pessoas. Foi um processo de pesquisa etnográfica”, revela.

Alexandre é PhD em Antropologia Social, professor do Departamento de Ciências Sociais, no Campus Guarulhos, da Universidade Federal de São Paulo, Unifesp.

Seu livro foi escrito a partir de sua tese de doutorado, realizada na Universidade de São Paulo, USP, quando analisou como as experiências juvenis modificam e são modificadas pela diversidade da vida dos jovens (escolar, territorial, tecnológica, de gênero, de classe social, de raça).

“Compreender o jovem e suas práticas, a partir da escola, foi meu objetivo inicial, mas, uma vez dentro da escola, foi impossível não perceber a perspectiva do papel de aluno”. A partir desse entendimento surgiu a palavra “zoeira” do título, tão comum no vocabulário das meninas e meninos retratados, e que remete ao ambiente virtual pelo qual circulam, às redes sociais em que interagem, a rua propriamente dita, enfim, denota os contextos de interação à educação promovida pela escola. “Ter sido indicado ao prêmio é um importante reconhecimento do trabalho realizado. A partir de agora, acredito e espero obter mais visibilidade ao livro.”

 

EXCELÊNCIA

 

“Estar, pelo segundo ano consecutivo, entre os finalistas do Prêmio Jabuti é uma honra para uma editora universitária tão jovem como a nossa. Revela excelência no trabalho feito”, comenta a Diretora Presidente da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, profa. Jane Zveiter de Moraes. “O Jabuti é o mais cobiçado prêmio literário do país. A qualidade da publicação em questão fica evidenciada ao fazer parte das obras selecionadas. É, de fato, um reconhecimento”, acrescenta profa. Jane. Vale registrar, “A Maior Zoeira” é o centésimo livro lançado pela Editora Unifesp.

“Essa indicação mostra a consistência de seu catálogo universitário”, comenta José Castilho Marques Neto, Consultor da Editora Unifesp. “Ser mais uma vez finalista do Jabuti, com a enorme concorrência que esse prêmio tem, é ter o sinal que a Editora Unifesp publica bem, tem ótimos autores, está sendo notada e começa a fazer parte, de verdade, da cena editorial brasileira”, acrescenta.

Para Castilho, toda essa visibilidade é fruto do empenho de sua direção em organizar aspectos editoriais, administrativos, financeiros, para fomentar a divulgação e distribuição profissional de suas obras. “Em outras palavras, fazer com que o ótimo texto editado chegue às mãos do leitor”.

Ele lembra, nessa trajetória de organização, a importância da participação em Bienais de Livros, em feiras relevantes para o setor, na profissionalização da venda de livros, com a criação de sua Livraria Virtual (https://www.livrariaunifesp.com.br/).

 

CONQUISTAS

 

Em 2016, a Editora foi finalista com duas publicações de seu catálogo. “Nenhum Homem é uma Ilha: John Donne e a Poética da Agudeza”, de Lavínia Silvares, finalista da categoria Teoria/Crítica Literária, Dicionários e Gramática; e “Literacura: Psicanálise como Forma Literária”, de Fernanda Sofio, selecionada na categoria Psicologia, Psicanálise e Comportamento.

Já em 2014, a Editora conquistou a segunda colocação, na categoria Arquitetura e Urbanismo, do 56º Prêmio Jabuti, com o livro “Preservação e Restauro Urbano: Intervenções em Sítios Históricos Industriais”, da profa. Manoela Rossinetti Rufinoni, do campus Guarulhos, da Unifesp. A obra reflete o conceito de patrimônio urbano industrial e procura compreender o uso desses espaços no cotidiano da sociedade.

 

Todas as publicações da Editora Unifesp podem ser encontradas pelo  http://www.editoraunifesp.com.br/. Outros detalhes do 59º Prêmio Jabuti estão disponíveis no http://premiojabuti.com.br/apuracao/f1/index.html.