Anunciados os aprovados para os Programas de Residência Médica da EPM/Unifesp 2017

O resultado está disponível pelo www.coreme.fapunifesp.edu.br. Ao todo, 3.843 candidatos disputaram 548 vagas oferecidas para 2017. A Residência Médica da Unifesp é uma das mais prestigiadas do país

São Paulo, 9 de fevereiro de 2017 – Chegou a hora de conhecer os nomes dos próximos residentes da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, EPM/Unifesp. Ao todo, 548 candidatos vão ingressar no Programa de Residência Médica da Universidade.

Para a Diretora da Escola Paulista de Enfermagem e Vice-Presidente do Conselho Gestor do Hospital São Paulo, Janine Schirmer, a residência é fundamental à ampla formação dos profissionais de saúde. “É um constante aprendizado. Envolve estudo, trabalho, sobretudo, a prática cotidiana do atendimento médico. E um momento decisivo para aprender a se relacionar com os pacientes. Isso é de extrema importância para população e para o médico, para a sua história de vida profissional.”

“Passar na residência da EPM é a realização de um sonho. É o reflexo de todos os anos de estudo, de dedicação, na faculdade de medicina”, fala Nídia Ayami Tsutsui, candidata a uma das 21 vagas ao programa de Pediatria. Como ela, mais de 1.200 candidatos esperam o resultado, publicado pelo www.coreme.fapunifesp.edu.br

PROFISSIONALISMO

A EPM foi uma das pioneiras na implementação dos Programas de Residência Médica no Brasil. Desde 1957, a EPM|Unifesp mantém e procura aprimorar seus Programas de Residência Médica, de acordo com os avanços da medicina e necessidades da sociedade.

A Regulamentação da Residência Médica, com normas uniformes para todo o território nacional, passou a ser desenvolvida pela Comissão Nacional de Residência Médica, criada em 1977. Essa Comissão é responsável pela

elaboração das normas e credenciamento dos Programas de Residência Médica. Na Unifesp, os Programas de Residência Médica são coordenados pela Comissão de Residência Médica (Coreme), instância subordinada ao Conselho de Extensão (Coex), presidido pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura. A prova para seleção dos candidatos foi dividida em etapas que contemplaram questões teórica, práticas e entrevistas. ”Com certeza, os selecionados são os melhores, pois foram muito bem avaliados”, comenta a Reitora da Unifesp, Professora Soraya Smaili.

A Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, é a responsável pela administração da prova, pois gere a parte operacional do exame, como locação dos espaços, contratação do suporte técnico (apoio, limpeza, gerador, médico, segurança), entre outros. “A FapUnifesp trouxe o profissionalismo que a prova precisava”, afirma a Reitora Soraya.