Segunda fase da Prova de Residência Médica da EPM/Unifesp tem participação de mais de 800 candidatos

O Programa de Residência Médica de 2017 oferece 548 vagas. Para a realização da prova foi montada estrutura com mais de 1.600m². Resultado final dos exames pode ser acessado pelo www.coreme.fapunifesp.edu.br

São Paulo, 26 de janeiro de 2017 – No próximo dia 8 de fevereiro está prevista a divulgação dos residentes selecionados para o Programa de Residência Médica da Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (EPM/Unifesp). A segunda fase do processo seletivo, que aconteceu em 20 e 21 de janeiro, teve a participação de 814 candidatos, que disputam, nesta etapa, 290 vagas. Ao todo, o Programa de Residência oferece 548 vagas.

“Para selecionarmos os melhores candidatos, precisamos de uma forma inteligente de avaliação”, destaca professor Adagmar Andriolo, Coordenador da Comissão de Residência Médica (Coreme). A segunda fase do processo seletivo da Coreme, além da parte teórica, é constituída por uma prova prática, em que é simulado um ambiente médico-hospitalar para testar as habilidades técnicas dos candidatos. “Essa avaliação é extremamente bem-feita, pois recria com fidelidade o dia a dia de um residente dentro de um hospital”, enfatiza a Diretora da Escola Paulista de Medicina, Emília Inoue Sato.

Raissa Bringel, da Universidade Federal do Pará, e candidata a uma das 21 vagas em Pediatria, classificou o exame como muito “justo”. ”Tenho a capacidade para mostrar o que aprendi durante minha graduação”, diz.

A Professora Janine Schirmer, Diretora da Escola Paulista de Enfermagem e Vice-Presidente do Conselho Gestor do Hospital São Paulo, pontua a importante função social dos selecionados. “A chegada dos novos residentes traz uma força de trabalho decisiva ao funcionamento do Hospital São Paulo, pois eles são imprescindíveis aos atendimentos no hospital.”

 

RESULTADOS PELO SITE DA COREME

 

Para recriar o ambiente perfeito de um hospital foi montado, na quadra poliesportiva do Colégio Arquidiocesano Marista, um espaço de aproximadamente 1.600 m², constituído por um laboratório de informática (com 120 computadores), 50 consultórios médicos (com macas, mesas, cadeiras, armários e os devidos materiais hospitalares), além de 120 figurantes que simulavam algum problema de saúde. Todos eles seguiam scripts previamente definidos pela comissão organizadora do exame recriando, com a maior verossimilhança possível, quadros de atendimento clínico.

A Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, é a responsável pela administração da prova. A Fundação gere a parte operacional do exame, como locação dos espaços, contratação do suporte técnico (equipe de apoio, limpeza, segurança), entre outros. “O grande desafio para a montagem de toda a estrutura necessária é a contratação correta de todos os fornecedores. É preciso respeitar os aspectos da legislação vigente para firmar os contratos”, destaca André Ribeiro, Supervisor de Compras da Fundação, um dos responsáveis pela execução da prova.

O resultado final, juntamente com os convocados para a matrícula, está previsto para ser divulgado a partir de 8 de fevereiro de 2017, pelo site da Coreme: www.coreme.fapunifesp.edu.br.