Editora Unifesp é finalista do 58º prêmio Jabuti

Duas de suas publicações concorrem à premiação. O Jabuti é um dos mais significativos reconhecimentos do setor editorial brasileiro. Valoriza autores e destaca profissionais envolvidos na produção e criação de livros

São Paulo, 10 de novembro de 2016 – A Editora Unifesp está entre os finalistas do 58º Prêmio Jabuti. Concorre à premiação na categoria Teoria/Crítica Literária, Dicionários e Gramática: “Nenhum Homem é Uma Ilha: John Donne e a Poética da Agudeza”, de Lavínia Silvares; e na categoria Psicologia, Psicanálise e Comportamento: “Literacura: Psicanálise como Forma Literária”, de Fernanda Sofio.

“Para a Editora Unifesp, o prêmio Jabuti é muito importante. Revela o reconhecimento de nosso rigoroso trabalho na seleção dos textos publicados”, comenta Cynthia Sarti, Diretora da Editora Unifesp. “Para os autores, o prêmio reconhece a qualidade e valor de seu trabalho. É um enorme estímulo e satisfação”, acrescenta.

Criado em 1958, o Jabuti é o mais tradicional prêmio do livro no Brasil. Além de valorizar escritores, destaca a qualidade do trabalho de todas as áreas envolvidas na criação e produção de um livro.

Editoras dos mais diversos segmentos e escritores independentes inscrevem suas obras. Como destaca a organização da premiação, “receber o Jabuti é um desejo acalentado por todos aqueles que têm o livro como seu ideal de vida”. Neste ano, a premiação distribuiu os selecionados em 27 categorias.

CULTURA EDITORIAL

A análise das obras selecionadas é feita por jurados especializados, profissionais de comprovada expertise em suas respectivas áreas de atuação. A contagem dos votos acontece em sessões abertas ao público e é dividida em duas etapas. Na primeira sessão pública, são selecionadas as 10 melhores obras em cada umas das categorias. A segunda sessão define os três primeiros lugares. Os vencedores serão divulgados no site oficial do Prêmio Jabuti, após a apuração e validação de seu Conselho Curador e da Auditoria Ecovis Pemom.

Em 2014, uma das publicações da Editora Unifesp foi premiada na 56ª Edição do Jabuti. “Preservação e Restauro Urbano: Intervenções em Sítios Históricos Industriais”, da professora Manoela Rossinetti Rufinoni, do campus de Guarulhos, obteve a segunda colocação na categoria Arquitetura e Urbanismo. O livro reflete o conceito de patrimônio urbano industrial e procura compreender o uso desses espaços no cotidiano da sociedade.

A Editora Unifesp busca a criação de uma cultura editorial e acadêmica, que valorize o trabalho do docente universitário, consolidando uma literatura própria na elaboração e divulgação de conhecimentos acadêmicos e científicos no país. Em 2016, foi relançada, com novo nome, nova proposta de trabalho e nova direção. Até o final do ano, há previsão de que seu acervo chegue aos 100 livros publicados.