Segunda fase da prova de residência médica da Unifesp atrai mais de mil e cem candidatos

Exame recria ambiente médico-hospitalar para garantir veracidade nas provas. Alunos precisam demonstrar destreza técnica. Resultado final está previsto para ser divulgado em 4 de fevereiro

 

São Paulo, 15 de janeiro de 2016 – A credibilidade da Escola Paulista de Medicina (EPM) foi decisiva para o médico Alexandre Camargo, que vive na cidade do Rio de Janeiro, ter vindo para a capital paulista concorrer a uma das vagas de clínica médica oferecida na Prova de Residência Médica da EPM, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Já Rafael Mesquita, formado há dois anos em medicina, pela Unifesp, se sente em casa na Escola Paulista. Por isso, vê como natural, o fato de disputar uma das vagas de psiquiatria da prova de residência da instituição.

Alexandre e Rafael são dois exemplos de candidatos entre os mais de mil e cem que passaram para a segunda fase do Processo Seletivo de Residência Médica da EPM e almejam ser aprovados nesse que é considerado um dos mais importantes exames da área de saúde no Brasil.

Para a realização desta segunda fase da prova da Comissão de Residência Médica (Coreme), nos dias 15 e 16 de janeiro, foi montado uma grande estrutura, em instalações do Colégio Marista Arquideocesano, na Vila Mariana, próximo ao campus São Paulo da Universidade. Foram utilizados geradores elétricos, mesas, macas, cadeiras, computadores, equipamentos de refrigeração para a simulação de consultórios e baias individuais para a análise de imagens e vídeo. Entre outros materiais específicos, que recriam o cotidiano de atendimento médico-hospitalar necessário às avaliações. Bonecos e atores também foram usados durante a simulação dos exames de atendimento.

Os candidatos são submetidos, ainda, a uma série de testes de múltipla escolha. “Os casos escolhidos exigem humanismo e habilidade técnica”, diz professor Gilmar Fernandes do Prado, coordenador do exame.

Para o professor Adagmar Andrioli, Coordenador da Coreme, esta fase é de extrema importância para avaliar a desenvoltura do candidato. “É oportunidade de demonstrarem o que aprenderam durante a graduação. A prova seleciona os alunos mais capacitados”.

A Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, FapUnifesp, é a instância responsável pela administração da prova de seleção dos residentes. A Fundação gere a parte operacional do exame, como locação dos espaços para as provas, licitação da empresa que aplica a prova, contratação do suporte técnico (equipe de apoio, limpeza, segurança), entre outros.

O resultado final, juntamente com os convocados para a matrícula, será divulgado em 4 de fevereiro, pelo site da Coreme; e as matriculas deverão ser realizadas de entre 15 e 17 de fevereiro, na Coreme, no Edifício Octávio de Carvalho, Rua Botucatu, nº 740, 2º Andar, Vila Clementino, São Paulo, capital, das 9h às 16h (horário de Brasília). Além do site, é possível tirar dúvidas ou realizar esclarecimentos pelo: RM2016@unifesp.br.